Convocar assembléia, fazer cumprir a convenção e as decisões internas, contratar seguro para Condomínio, elaborar orçamentos, prestar contas. O trabalho de um síndico na administração de condomínios é uma tarefa complexa.

Além de todas as atividades que o síndico precisa desempenhar, também é ele quem responde civil e criminalmente em casos de acidentes. Por isso, o responsável pela gestão de condomínios deve assumir uma postura de compromisso para amenizar as chances de problemas acontecerem.

administração de condominíos

Para lhe ajudar, a Conset elaborou este conteúdo. A seguir, listamos 6 dicas imperdíveis para ajudar os síndicos a diminuir os riscos em prédios. Siga conosco!

 

1. Administração de condomínios: cumprir obrigações legais 

A primeira dica para ter uma administração de condomínios focada na diminuição de riscos é óbvia: o síndico precisa garantir o cumprimento das obrigações legais em relação à segurança dos prédios e dos moradores.

Extintores, mangueiras de incêndio, hidrantes, para-raios, iluminação de emergência e corrimão são alguns dos equipamentos de proteção que devem estar sempre presentes nos edifícios.

Também é preciso garantir que as recomendações técnicas dos mesmos sejam seguidas, como o uso de quadro de energia metálico ou de material não-inflamável e disjuntores adequados para a dimensão da rede do condomínio, entre outros.

 

2. Realizar revisões periódicas

Também é papel da administração de condomínios garantir que os equipamentos de segurança estejam sempre prontos para uso. Dessa forma, evita-se que pequenos incidentes se tornem acidentes maiores por falta de equipamento adequado disponível.

Por isso, extintores, mangueiras de incêndio, sistema de para-raios, quadros e instalações elétricas, sistemas de gás e elevadores, entre outros, devem passar por revisões periodicamente.

Os prazos para as revisões devem seguir as recomendações técnicas de cada equipamento. Além disso, elas sempre devem ser feitas sob a responsabilidade de empresas e profissionais habilitados. Periodicamente, também é preciso lembrar de realizar a limpeza de caixas d’água, piscinas e outros ambientes.

 

3. Contratar o Seguro para Condomínio

A contratação e a renovação do Seguro de Condomínio também é uma ação de responsabilidade do síndico. Todos os condomínios horizontais ou verticais, residenciais ou comerciais devem contratar seguro contra o risco de incêndio ou de destruição para toda a edificação.

Existem diferentes tipos de cobertura de seguro para condomínio para atender as necessidades de diversos empreendimentos. É possível contratar proteção contra incêndio, explosão e queda de raio, danos ao patrimônio e danos a terceiros, entre outros.

Os responsáveis pela gestão de condomínios também devem ficar atentos às chamadas “exclusões”. Ou seja, os riscos que não são cobertos pelo seguro. Por causa de tantos detalhes e para escolher a opção com melhor custo-benefício para atender as necessidades do condomínio, é importante contar com o apoio de uma corretora de seguros.

 

4. Monitorar o cumprimento das normas de segurança pelos moradores

A administração de condomínios também precisa estar atenta ao cumprimento das normas de segurança por parte dos moradores, como a manutenção de espaço livre nas saídas de emergência, que também não devem ser trancadas. Se isso não for feito, de nada adianta o trabalho que sugerimos nas dicas anteriores.

Para isso, protocolos de segurança podem ser estabelecidos nas assembleias e comunicados a todos os moradores. A gestão de condomínio também pode elaborar um manual com as regras de conduta de segurança. Para aqueles que não cumprirem os acordos feitos, podem ser previstas advertências e multas.

 

5. Capacitar o pessoal do condomínio

Para garantir o cumprimento das normas de segurança, outra dica é muito importante. A equipe de gestão de condomínios deve investir em conscientização e capacitação, tanto dos moradores quanto dos funcionários.

Em primeiro lugar, é importante garantir que todos que fazem parte do condomínio compreendam a importância da prevenção de riscos. Para isso, as ações de conscientização, que podem ser realizadas por meio de reuniões e informes, são fundamentais.

Além disso, também é necessário preparar as pessoas para agir em situações de perigo. Nesse caso, garantir que todos conheçam as rotas de fuga é um passo importante, mas outras medidas também podem ser adotadas.

É possível, por exemplo, formar uma brigada de incêndio no condomínio composta por moradores e funcionários. Essa equipe deve ser treinada para operar os equipamentos de segurança, como extintores e hidrantes. Outra possibilidade é capacitar a brigada de incêndio para prestar primeiros socorros em casos de emergência.

 

Administração de condomínios: Conclusão

Neste post, você conferiu algumas dicas importantes para ter uma administração de condomínios focada na diminuição de riscos. Cumprir as obrigações legais e as recomendações técnicas, realizar manutenções periódicas e envolver todos que frequentam o condomínio na prevenção de riscos são ações imprescindíveis para conseguir isso.

Além disso, não esqueça que o Seguro de Condomínio é obrigatório para empreendimentos residenciais e comerciais.

Quer saber mais sobre esse tipo de seguro? Então confira o post Seguro de Condomínio: obrigatoriedade e tipos de coberturas!

 

 


Ficou Interessado? Entre em contato!

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.