Se você nasceu nos anos 1990 ou 2000 ainda está longe de aposentar e, por isso, pode se questionar se a previdência privada vale a pena desde já. Mas na matemática da vida a receita é simples: quanto antes você começar a poupar, maior será a renda futura. E, claro, mais oportunidades terá para aproveitar a vida com dinheiro no bolso.

Por isso, a primeira coisa é entender o que é previdência privada, e por que ela é vantajosa. Basicamente, a previdência privada é uma garantia de renda para o seu futuro. A certeza de que em alguns anos você terá um valor a receber, e poderá ficar mais tranquilo quando quiser parar de trabalhar. Mas engana-se quem pensa que ela serve apenas para aposentadoria. Neste texto vamos mostrar que a previdência tem outras vantagens também!

previdência privada vale a pena mulher descansa rede

 

Como funciona a previdência privada

Diferentemente da previdência pelo INSS, na previdência privada você escolhe o valor e a periodicidade das contribuições que fará para a aplicação financeira, podendo aumentar esses valores quando sua renda permitir. E se ficar apertado em algum momento, pode suspender as contribuições até sua situação financeira melhorar, sem problemas.

Sendo assim, você poderá decidir, por exemplo, quando deixará de trabalhar e a renda aproximada que pretende ter daqui a alguns anos.

 

Previdência privada vale a pena? Por quê?

1 – Alternativa às incertezas do INSS

Ter um plano de previdência privada é vantajoso especialmente porque você não ficará sujeito às restrições do governo. Todo trabalhador brasileiro da iniciativa privada faz parte do INSS, que é o sistema público que garante o pagamento de aposentadorias e outros benefícios como, por exemplo, auxílio-doença e pensão. Mas, com a proposta de Reforma da Previdência, há uma insegurança sobre as novas regras e como elas afetarão a saúde financeira do trabalhador.

A principal dúvida é sobre o tempo que o trabalhador irá contribuir, e o valor que ele efetivamente receberá quando chegar a hora da aposentadoria.

Hoje em dia, é normal os aposentados que contam apenas com o valor do INSS se sentirem decepcionados. Atualmente, o teto do INSS é de R$ 5.839,45. Então, para planejar o próprio futuro com segurança, a saída é investir na previdência privada, escolhendo quando e com quanto se aposentar.

 

2 – Juntar dinheiro para viajar o mundo

Outro exemplo de por que a previdência privada vale a pena é que ela pode ser usada para outras situações que não necessariamente a aposentadoria. Como os valores depositados podem ser resgatados antes de você se aposentar, você pode usar a previdência privada como um meio de economizar para aquela sonhada viagem pelo mundo, seja num ano sabático, ou para aprender um idioma. Ou, quem sabe, até fazer uma especialização ou pós-graduação no exterior.

 

3 – Economizar para abrir o próprio negócio

A previdência privada vale a pena também para quem tem como preocupação mais imediata empreender. O número de jovens que terminam a faculdade e decidem abrir o próprio negócio está crescendo. Uma pesquisa mostra que foi de 50% para 57% a participação de pessoas entre 18 e 34 anos no total de empreendedores em fase inicial em 2017.

E para abrir o próprio negócio, é preciso ter um dinheirinho guardado, seja para comprar equipamentos, investir no novo empreendimento ou até mesmo se manter até que ele renda frutos.

Mais uma vez, aqui fica claro que a previdência privada vale a pena, pois você pode usar os aportes mensais como uma forma de “se educar” para poupar e depois pode sacar o valor poupado quando quiser colocar em prática o plano de abrir sua empresa.

 

Como escolher o Plano de Previdência Privada

O passo mais importante é você escolher corretamente a seguradora que irá gerir seu dinheiro. É importante lembrar que quanto mais tempo o dinheiro ficar investido, mais ele vai render. E, finalmente, quanto mais você investir mais dinheiro terá.

“O ideal é começar assim que ingressar no mercado de trabalho. Esse valor será uma renda no futuro, um complemento da aposentadoria. Ou, ainda, uma grande ajuda para realizar um projeto de vida como um curso no exterior”, explica o especialista em seguros de Vida e Previdência da Conset Corretora de Seguros Lucas Bezerra.

 

O que vale mais a pena na Previdência Privada: PGBL ou VGBL?

Agora que você já sabe por que a previdência privada vale a pena, vamos falar das duas modalidades de previdência: o PGBL (Plano Geral de Benefícios Livres) e o VGBL (Vida Gerador de Benefícios Livres). Mas, apesar de parecer complicado, para escolher entre o PGBL e o VGBL, basta levar em conta o modelo de declaração do Imposto de Renda.

O PGBL é indicado para quem faz a declaração do Imposto de Renda completa, enquanto o VGBL é melhor para aqueles que optam pela Declaração do Imposto de Renda Simplificada ou são isentos da declaração.

No PGBL, o valor investido pode ser declarado e, assim, você paga menos imposto ou tem uma restituição ainda maior. Resumindo, você pode deduzir até 12% da sua renda bruta anual com a previdência na modalidade PGBL.

Para quem opta pelo PGBL, o Imposto de Renda é cobrado no momento do resgate. Ele incide sobre o valor total a ser resgatado ou recebido sob a forma de renda. Já no VGBL, no momento do resgate, o Imposto de Renda incide apenas sobre os rendimentos.

 

Tipos de tributação da previdência privada

Outro aspecto importante a levar em conta é a tributação do fundo. Os planos PGBL e VGBL permitem duas opções de regime tributário: Progressivo ou Regressivo. O regime progressivo segue a tabela do Imposto de Renda que é aplicada no salário do trabalhador, variando de 7,5% a 27,5%. Então, seguindo essa tributação, quanto maior for o valor do resgate, maior será o valor do imposto pago.

Já a tabela regressiva, criada pela Lei 11.053 de 29 de dezembro de 2004, prevê que quanto mais tempo o dinheiro ficar aplicado, menor o imposto cobrado. Ela começa com 35% para investimentos que são mantidos por menos de 2 anos, podendo chegar a 10% para valores investidos há mais de 10 anos.

 

Tabela regressiva:

Investimento até 2 anos 35% de imposto
Investimento acima de 2 anos e até 4 anos 30% de imposto
Investimento acima de 4 anos e até 6 anos 25% de imposto
Investimento acima de 6 anos e até 8 anos 20% de imposto
Investimento acima de 8 anos e até 10 anos 15% de imposto
Investimento acima de 10 anos 10% de imposto


Taxas da Previdência Privada

O especialista em seguros de Vida e Previdência da Conset Corretora de Seguros Lucas Bezerra lembra, ainda, que é fundamental fazer as simulações de acordo com cada necessidade, ficar atento às regras do plano de previdência adquirido, e conhecer as taxas cobradas.

Todos os planos cobram duas taxas, a de carregamento e a de administração financeira. A primeira é o valor cobrado para custear as despesas administrativas e de manutenção do plano. Geralmente, essa taxa varia entre 1,25% e 2,40% ao ano, enquanto as taxas de carregamento variam de 0% a 8%, de acordo com o período investido. Lembrando que quanto maior o prazo e o valor, menor o encargo.

O fundamental é sempre conversar com um corretor de sua confiança, que te ajudará a definir os valores ideais para o investimento, o prazo e a modalidade mais adequada ao seu caso. Vale ressaltar que quanto antes você começar, mais rápido poderá desfrutar da sua renda extra.

 

Leia também:

 


Ficou Interessado? Entre em contato!

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.